quarta-feira, 18 de junho de 2008

O que diz uma voz?


O que pode dizer uma voz? Um timbre? Um canto? Entendo praticamente nada de inglês, mas quando escuto esse cara, parece que entendo cada palavra, cada intenção... O engraçado é que quando escutei a primeira sem saber como seria a figura por trás daquela voz, até mesmo isso me veio de forma nítida, bem próxima do que ele é. Imaginei ele gordo, afetado, tocando piano. Mas imaginei mais, e imagino até hoje. Toda vez que ouço Anthony eu viajo.
Sua voz me passa a idéia de um cabaré atemporal, decadente, onde a miséria do mundo tiraria a guerra pra dançar. Um lugar soturno. Verdadeiro fim do mundo.Mas mais mundano que isso. Eu sozinho, desoladamente sozinho, fim de noite, o responsável pelo lugar esperando minha saída para fechar o estabelecimento. Eu pensando em toda minha dor, pensando em toda a dor do mundo. E um cantor pianista inventa de cantar uma última canção. Redentora, belíssima. Uma pérola no meio do lixo. Lembro de Wilde; "todos nós estamos na lama, só que alguns olham as estrelas". Como é que uma voz e um piano podem trazer tantas coisas?

Um comentário:

Madame Bovarrenta Cê Muá disse...

Tudo para por um instante. Por uns preciosos segundos eternos sou suspensa por um fio imaginário para logo depois ser jogada com violência contra os muros da vidinha besta.

Play it again, Anthony.