terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Uma mulher é uma mulher

Outro preferido da bandalha. É, eu sei que Godard virou quase um monotema neste brógue. Mas o mala é necessário, ainda mais quando ele se atreve a fazer uma historinha de amor meiga. Eu disse história de amor? Comédia romântica? Sim, é sim.

Neste filme Anna Karina faz uma stripper que quer-porque-quer ter um filho com o namorado. Mas ele nem. Surge então Jean Paul Belmondo, o feio mais charmoso de todos os tempos no meio da história.

Só um aviso: quem for procurar Meg Ryan ou Julia Roberts, não vai encontrar. Até mesmo porque o triângulo Karina-Belmondo-Brialy é bem mais interessante, ao meu ver. Nada de caprichos hollywoodianos, ilusionismo e happy end besta (embora o final seja bem bonitinho) que não convence ninguém. Neste filme e talvez ainda mais em Pierrot le fou - outro título do cara que tem outra “historinha de amor” sacana - continuidade, verossimilhança e toda essa pataquada cai por terra. O filme cria sua própria realidade e joga com o espectador o tempo todo.

Para os marmanjos, um pouco de Anna Karina, a então musa-esposa de Godard, mostrando porque ela é terrível:



OBS: O único problema é que este filme não saiu ainda em DVD. Nem Pierrot le fou. Mas vira-e-mexe ambos são exibidos no CCBB e na Sala Cinemateca. Nesses lugares o preço do ingresso é mais camarada.

2 comentários:

Alan Livan Bandalheira disse...

Sacanagem! Eu quero mais! Eu quero mais. Você não tem esse filme não Thais?

Lola Brígida disse...

Hahahaha, Alivan Caramujo se rendeu a Anna Karina!!! E o André achava que isso era impossível!

Não, eu não tenho cópia do filme, infelizmente. Mas a Laura, minha linda e louca irmã tem Pierrot le Fou que tem Anna Karina e Jean Paul Belmondo como os bandidos em fuga.