segunda-feira, 17 de março de 2008

da nossa loucura

Houve um tempo em que o Dona Bandalha (ainda Bandalheira) inventou de querer ser sério. Sério mesmo, sem riso e com muito siso. Aquele sério mala, sisudo, achando assim que as pessoas nos levariam...a sério.

Fala sério, menino. De tão sérios ficamos chatos.

Felizmente tomamos outro rumo. Mas dessa fase muitas coisas se salvaram. Além da experiência, que sempre conta, alguns textos usados de base para uma das personagens ficou e chegou a ter até um blog. A tal se chamava Imaginação Machucada. Pensávamos nela como uma espécie de grande mãe que deu origem ao mundo e vive mendigando dizendo cá e lá aquelas verdades travestidas de loucura.

Com vocês, a nossa IM:



Se tenho medo?

Ara, medo.

Eu digo que tenho

Gota
Artrite
Metiolate Gase Rinosoro Hipoglós

Vista cansada

Amor demais e de menos

Uma pitada de sal

Piolho

Carrinho de rolemã

Saci Leviatã Deus e o Diabo

Cobra, lagarto, mosquito

Compro/vendo/alugo

Sombra e água fresca

Cianureto

Mas medo não.

2 comentários:

jeniffer disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
jeniffer disse...

Estamos numa espectativa muito grande, somos novos no grupo e estamos vendo que teatro exige muita coisa de você. Mais vale a pena quando fazemos algo que realmente gostamos e estando do lado de pessoas maravilhosas então que levam o teatro realmente a sério é espetácular.Nós brincamos de levar a sério e levamos muito a brincadeira é por isso que tem dado tanto certo.