quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Carnaval de paulista

Não rolou o tal Bloco Nildos e Nildas partindo pra ignorância da Vila Nova Ipiranga. Ia ser divertido acordar os velhinhos do bairro e faze-los dançar de pijama pela avenida Nazaré. Fica a promessa pro ano que vem. Se eu estiver em São Paulo, claro.

O Alan tratou de salgar a bunda branca e peluda em Angra. Eu, como sabem, fiquei por aqui mesmo. E, juro, não foi nada mal o meu Carnaval de paulista.

Sexta-feira – Bloco Ilú Oba de Min



Como o nome sugere, é um bloco afro. Umas mulheres fodásticas cantando todos os pontos de candomblé, pessoas vestidas de acordo com seu orixá de cabeça (alguns desfilaram com perna de pau como um Xangô pirofágico) e uma bateria incansável. O bloco saiu atrás do Estadão e foi até o Largo do Paissandu. O trajeto não é longo mas a minha empolgação era tanta que estou com umas malditas bolhas no pé até hoje, quarta-feira de cinzas. Uma experiência para nenhum ateu brasileiro botar defeito.

Pra quem quiser conhecer. Há uma agenda com apresentações e eventos:
http://www.iluobademin.com.br

Sábado – Carnaval na Contramão



Big band combina com Carnaval? Sei lá, dependendo da disposição dos foliões, sim. Eu, por exemplo, com os pés estrupiados não achei ruim o programa. Pelo contrário. Afinal, uma boa big band como a Soundscape vale em qualquer época do ano.

Terça-feira – Bloco Agora Vai



Lembra quando os seus professores de física falavam por que nenhum pelotão marchava em cima de uma ponte ou viaduto? Pois é, eles falavam que não podia marchar, mas ninguém fez alguma ressalva quanto a sambar. Lá fui eu, no Bloco do Agora Vai sem medo de ser feliz e partindo pra ignorância em cima do maior desastre urbanístico de São Paulo: o Elevado Costa e Silva, vulgo Minhocão. Aquele punhado de concreto tremeu mas não rachou. É Carnaval e não manchete para as páginas do caderno Cotidiano da Folha.

O bloco é bastante recente, existe desde 2004. É organizado pelo pessoal da vilinha na Barra Funda, onde mora boa parte dos integrantes da Cia. São Jorge de Variedades. Ano que vem, se eu calhar por aqui mesmo, vou providenciar uma fantasia nas cores amarela e roxa que simbolizam o bloco.

3 comentários:

JUSTIFICAME disse...

que guapo tu blog, me gusta un monton.
mira el mio aver q t parece

www.justificame.blogspot.com

Anônimo disse...

Oi Lola. Que bom que voce estava aqui. Mas vale uma correção: não ha nenhum integrante da cia São Jorge de Variedades na vila. Paula Klein, da cia é uma das fundadoras do bloco e a São Jorge vem em peso. Adorei o texto. Obrigada pela divulgação.
Carlota Joaquina

Lola Brígida disse...

Poxa, Carlota, eu era capaz de jurar de pé junto que você era uma das moradoras da Vila, rs. Valeu pela correção! Beijo!