terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Carnaval em Sampa, parte cinco. Final!


A folia ainda vai durar pelo menos três dias...O mundo a minha volta ainda rodopia velozmente... Quem foi que falou mesmo que tomar cerveja com esse remédio não ia dar barato nenhum? Quem foi que falou mesmo que está acontecendo um carnaval nessa cidade enorme? Depois de uma dormida básica no chão, voltar pra casa. Nesse momento, restamos apenas Alan e eu. Sentamos na frente do ponto do Parque Bristol e, sem perceber, caímos duros de sono no chão. Um gran finale para uma grande noite. Na despedida tentamos combinar os próximos passos da empreitada. Quem liga pra quem? Que hora a gente se encontra? Você liga na hora do almoço... Amanhã eu sei de um carnaval de rua legal... Ah, vai ter um baile lá no... A gente se fala daqui a pouco, mais tarde...
Ressaca infernal, agora pouco ainda tinha algum resquício... O carnaval está acabando, melhor dizendo, já acabou! Primeiras horas da quarta-feira de cinzas. Como esperado, ninguém se encontrou nos outros dias para continuar a tal matéria, todo mundo de bode enfurnado em casa ou fazendo outras coisas. A missão naufragou. Mas sem trauma. Ano que vem tem outro carnaval. Quem sabe essa matéria possa ser escrita finalmente. E claro, por outra pessoa, pois eu espero estar passando esse feriado em um lugar bem longe de São Paulo. Oxalá, meu pai, Oxalá! Se aqui é o túmulo do samba como dizem os cariocas, não sei. Pouco ouvi do barulho de cuíca e ziriguidum nessa noite ensandecida. Mas Sampa continua sendo, e sempre será, o melhor palco para as noites mais junkies e “perda total” do país. E que me perdoem Geraldo Filme, Adoniran Barbosa e outros sambistas paulistanos, eu também espero estar no ano que vem anos luz de distância do Carnaval de São Paulo.
E desse carnaval maluco se passaram dois anos. Como já escrevi aqui, ano passado não consegui cumprir minha promessa, mas esse ano sim. Passei um carnaval pra lá de legal em Angra. A Thais eu não lembro como se virou ano passado, mas sei que esse ano passou por aqui mesmo. Mas como bons paulistanos que somos daqui a pouco vamos tentar organizar o bloco com a Milene lá no Ipiranga. Ou seja, pelo menos um pouquinho do Carnaval eu estou passando aqui.
Salve!

2 comentários:

Thaís disse...

De fato, no ano seguinte eu passei meu Carnaval longe de São Paulo, mais precisamente em Minas, nas cidades históricas. Quase que esse detalhe escapou da minha memória bebum.

Que os carnavais continuem assim, animados e cheios de histórias pra contar. Tomara que eu nunca, nunca mesmo tenha de passar o Carnaval em Curitiba! Hahahaha

Miragaia disse...

POrque Curitiba não?